Categoria: Ser Tão Veredas

Histórias pra boi dormir

Conheci um sujeito que escondia dinheiro debaixo do colchão. Era muito dinheiro. Notas novas e usadas eram depositadas constantemente sob a alcova e aquele homem sorria calado ante sua fortuna que poucos sabiam existir  e a que somente ele tinha...

Folia de Reis

“Barre a casa, sá Maria/ Zeca, enfeita o terreiro/ Pra receber a folia do divino padroeiro./ Senhore, dono da casa/ evém chegando a folia/ vem beijá a nossa bandeira e escutá a cantoria.” (Autor desconhecido) Durante todo o mês de...

Gostosuras

Gosto de cortar (com as mãos) papel picotado. Gosto de estourar plástico bolhas. Gosto de encher o saco de plástico e arrebentar num barulho divertido. Gosto de andar de ônibus, na janela. E ficar olhando as pessoas – que andam...

Bar do Cilico

Eu nunca entendi o poeta Paulo Mendes Campos quando escreveu que os bares morrem numa quarta-feira. Para mim, eles morrem é no domingo, depois das dez horas da noite. Mas, o Bar do Cilico morreu faz tempo, e eu não...

Cine Rex

Já contei por aqui que fui homem de cinema. Melhor, fui um adolescente de cinema. Do Cine Rex, de tão alegre memória em minha cidade. Trabalhei no cinema como vendedor de balas. Éramos os baleiros do Cine Rex. A gente...

Povo lindo de morrer

Como diz o outro, o povo de hoje é muito mais bonito que o povo de antigamente. Um amigo me diz, com uma convicção de “adevogado” de defesa, que já não nascem  mais pessoas feias… o último deve ser esse meu amigo.

Valentões

“Chegou eufórico/ pisando em nuvens/ e disse que estava comendo água/ não tinha medo de homem/ e pediu mais uma pra comemorar”. (autor desconhecido) O valentão da música de Dorival Caymmi, cuja lembrança nos é mais presente na voz de...