Categoria: Ser Tão Veredas

Comeu com angu

Com esse tempinho de chuva a comida de angu é uma excelente pedida. E angu vai muito bem com frango e quiabo, com carne moída e abobrinha, com couve, com arroz e, claro, com feijão. Dizem os mais velhos que...

Calor, hem Osório?

O título aí de cima era uma fala constante do homem do rádio, conhecido por Mineirinho – que comandou por muito tempo o programa vespertino: “Tarde Sertaneja”, na Rádio Clube de Itaúna. “Calor, hem Osório?”, perguntava ele nas ondas curtas...

O homem da caixa de papelão

Conheço um homem, um old man, que anda pelas ruas da cidade carregando uma caixa de papelão. Usa um chinelo de borracha –  que uma marca famosa tomou como legítimas sandálias –  e suas roupas são sujas. Os pés, eu...

Catiras e catireiros

Não existem mais catireiros – não falo dos dançadores de catira, o que digo é sobre os fazedores de catira, os barganhadores, os negociantes de trocas. No meu tempo de menino, a gente falava “berganha” ou “breganha”, para denominar aqueles...

Vendedores de velas

– “Óia a véia, óia a véia!”. Era assim que a meninada apregoava os mais aguardados produtos destinados às procissões dos santos, especialmente a do Senhor Morto na sexta-feira da Paixão. Na verdade, os moleques deveriam anunciar vela e não...

Festa do Reinado

Começou o Congado, que muitos conhecem como Reinado ou Festa do Rosário. É tempo de roupa nova –  dos dançadores do Congado e para os que vão apreciar a festa. A gente estreia roupa e até sapatos na festa do...

Vale o escrito!

Tão logo aprendi a ler, não parei mais. Gosto de ler letreiros, placas com alguma informação – importante ou não – , pichações em muros, adesivos de para-brisa, para-choque de caminhão, epitáfios de cemitérios e até mesmo as mensagens subliminares...

Sinais nas ruas

De primeiro não havia “out door” e, muito menos, painéis luminosos nas ruas da cidade. A comunicação de que dispúnhamos, muitas vezes, era a dos cartazes, dos desenhos feitos à mão, dos escritos em placas, faixas e muros. Na época...

Causos de bicicleta

Os boyzinhos do meu tempo de menino chamavam-na de “magrela”, a molecada da minha turma deram-lhe o nome de “camelo”, mas para o povo  simples, que não sabia falar corretamente, era “bicicreta” ou até mesmo, “biscreta”. Eu nunca fui proprietário...

Carpe Diem

Quando eu lecionava no ensino médio sempre dizia para os alunos que em pouco tempo eles iriam se lembrar (e sentir falta) daqueles momentos em sala de aula. Nem tanto, talvez, das aulas, mas sim das companhias, das amizades, do...